Hora certa

visitantes

contador de acessos

Pesquisar este blog

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Fenômeno EL Niño e La Niña


 Fenômeno EL Niño 
De tempo em tempo as águas equatoriais do Pacífico se aquecem de maneira anormal, resultando no aparecimento do fenômeno El niño que altera profundamente o clima em escala planetária.
Esse aquecimento se inicia nos meses de setembro-outubro. Em dezembro, essa porção de águas oceânicas aquecidas chega a costa peruana. Pelo fato de o fenômeno El Niño ocorrer na costa da América do Sul na época do natal, recebeu esse nome de jesus.
Para os pescadores peruanos sua ocorrências é um grande problema, pois o aquecimento das águas não permite que haja ressurgência e, consequentemente, diminui a piscosidade na ocorrente de Humboldt, que margeia as costas do Chile e Peru.
O El Ninõ e responsável por alterações climáticas e do regime de chuvas em várias regiões do mundo. Apesar disso, as causas que levam ao seu aparecimento são ainda desconhecidas.
“ afetando as dinâmicas climáticas em escala global,a ocorrência do fenômeno gera bruscas alterações climáticas no mundo, com impactos generalizados sobre as atividades humanas, gerando por inúmeras catástrofes ligadas a severas secas, inundações e ciclones.”( MENDONÇA, 2007. p 192).
Por causa do El Niño, algumas regiões do planeta voltaram a ter o seu regime de chuvas alterado. Forte estiagem e muito calor castigam o Estados Unidos, o sudeste da África, a Indonésia, Austrália e a América Central. Por outro lado, o índices de pluviométrico muito acima do normal provocam enchentes e prejuízos para a lavoura nos países europeus do Mediterâneo, no oeste da Índia e no sul do Brasil.
No Brasil,os efeitos do El Ninõ foram sentidos em diferentes regiões do país. O Nordeste foi flagelado por uma forte seca, enquanto o Rio Grande do Sul enfrentava enfrentes. Na úmida região Norte chove muito menos do que o esperado, propiciando o aparecimento de grandes incêndios, como o que devastou 15% do Estado de Roraima.


Fenômeno EL Niño





LA Niña

“ La Niña é representado pelo resfriamento atípico das águas do Pacífico e também desempenha consideráveis impactos nas atividades humanas.”( MENDONÇA2007 p.191) .
La Niña também é um fenômeno cíclico e sua manifestação é oposta à do El Ninõ . Acontece quando ocorre um resfriamento maior do que o normal das águas do Pacífico. Esse fenõmeno ocorre, em média, a cada 2 a 7 anos, e pode durar aproximadamente um ano.
No Brasil, La Niña altera o regime de chuvas nordestinas e provoca uma primavera atípica na Região Sudeste, com índices pluviométrico maiores do que a média desse período e temperaturas mais baixas que o normal, provocando pela sucessão de dias nublados ou chuvosos.
                                                                 Fenômeno La Niña
 

Nos Estados Unidos,o inverno foi mais rigoroso, com temperaturas negativas recordes. A Europa também sentiu o efeito : tempestade de neve alastraram-se pelo continente europeu, provocando avalanches nos Alpes austríacos, além de atingir regiões onde raramente neva, como Paris, na França.
                                           
Os estudos mais recentes desse fenômeno indicam que não há padrões regulares nas consequências causadas por La Ninã, havendo variações nos regimes de chuvas para mais ou para menos.



                                                     Fenômeno El Niño e La Niña







Referências:
ALABI. Elain Lucci.Geografia Homem e espaço. editora Saraiva16°edição.Bras
ilia 2001.
MENDONÇA. Francisco. DANNI-OLIVEIRA. Inês Moresco. climatologia noções básicas e climas do Brasil. editora oficina de textos.São Paulo. 2007.
MORAES.Paulo Roberto.geografia geral e do Brasil.editora Harbra 3° edição. São Paulo 2005.



Nenhum comentário:

Postar um comentário